Akita

 

Ficha Técnica
Longevidade 10 a 12 anos
Porte Grande
Necessidade de Exercício Média\Alta
Temperamento Calmo. Dócil
Adestrabilidade Média
Utilização Cão de Companhia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Origem:

Nascido e crescido na ilha de Honshu, no Japão, o Akita Inu foi utilizado no passado para caça de grandes animais selvagens, combates entre cães e para acompanhar os samurais na defesa do território.

Características

O Akita Inu é um cão de força e coragem. Este cachorro tem um grande porte, olhos escuros e orelhas eretas apontadas para frente. A cauda é enrolada sobre o dorso, e o pêlo é fino, não muito longo, podendo ser encontrado nas cores sal-e-pimenta, pimenta vermelho, pimenta-preto, tigrado, branco e manchado. Este cão é um excelente guardião e companheiro, pois, além de guerreiro, é um animal dócil, inteligente, afetuoso e sincero. E adora brincar com crianças. Acompanha a família e a protege sempre que necessário. Observador,reconhece instintivamente quem é o seu dono ou o amigo do dono. Do mesmo modo, reconhece o inimigo em poucos segundos.

Comportamento

O Akita é um cão fiel, calmo, de caráter essencialmente dócil e receptivo. É considerado um cachorro territorial, corajoso, destemido, costuma proteger tanto a família quanto a propriedade. É inteligente e obediente, porém trata-se de uma raça mais indicada para proprietários mais experientes, que saibam conquistar a confiança do cão e disciplinar com firmeza e tranquilidade.

O Akita não costuma ser intolerante com pessoas que ele não conhece, no entanto tende a se mostrar indiferente às pessoas estranhas a sua rotina. De caráter forte e muitas vezes dominante,  o Akita não é um cão amistoso com outros cachorros do mesmo sexo e do mesmo porte. Sendo assim, é melhor evitar criar mais de um Akita dentro de casa. O sentimento de competição desta raça é tão grande, que, às vezes, é preciso separar os filhotes de uma mesma ninhada para que não briguem. Já com cães de outras raças e sexo oposto, se criados juntos desde pequenos, não há problemas no relacionamento. Somente os cães socializados precocemente apresentam a predisposição para conviver com outros animais. Nestes casos, é indicado que o proprietário possa investir no aprendizado do filhote desde cedo, a fim de evitar que o cão torne-se excessivamente dominante e agressivo com os outros cachorros e demais animais da casa.